Saiba com Michel Terpins o que é e como participar do Programa de reflorestamento do Espírito santo

Iniciado no ano de 2011, fruto do alinhamento da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEAMA) e da Secretaria Estadual de Agricultura, Aqüicultura e Pesca (SEAG), o Programa Reflorestar é uma iniciativa do governo do Estado brasileiro do Espírito Santo que tem como objetivo principal promover a restauração do ciclo hidrológico – por meio da conservação e recuperação da cobertura florestal. A meta é a ampliação da área de Mata Atlântica no Estado Espírito-santense em 80 mil hectares até 2018 – isso conforme metas almejadas pelo Governo no Planejamento Estratégico 2015/2018, reporta o sócio da empresa de reflorestamento ambiental Floresvale, Michel Terpins.

O projeto é a contrição do Espírito Santo para a Iniciativa 20×20. Esta trata-se de um acordo firmado na Conferência das Partes (COP 20), no Peru, no ano de 2014, pelos governos dos países da América Latina e Caribe (LAC). Michel Terpins explica que a meta da Iniciativa 20×20 é restaurar e/ou evitar o desmatamento em 20 milhões de hectares até 2020.

Ainda, a Iniciativa 20×20 está alinhada com ações de amplitude global, como a Declaração de Florestas da Cúpula de Clima de Nova York, o Desafio de Bonn – que visa a restauração de 150 milhões de hectares de áreas desmatadas ou degradadas até 2020, e uma extensão adicional de 200 milhões de hectares até 2030 – e com movimentos nacionais focados no Bioma Mata Atlântica, como o Pacto pela Restauração da Mata Atlântica, salienta o sócio da empresa de reflorestamento ambiental Floresvale.

Podem participar do Programa de reflorestamento do Estado do Espírito Santo qualquer proprietário de área rural do Estado que destina ou queira destinar parte de sua propriedade para fins de preservação do meio ambiente ou para práticas rurais sustentáveis. Entretanto, há, para isso, a necessidade de um cadastro disponível no link reflorestar.cargeo.com.br/registro. Os interessados também precisam ter em domínio o CPF e o RG; Comprovante de residência; Certificado de Cadastro do Imóvel Rural (CCIR), ou outro documento que comprove a posse da propriedade a ser atendida; e Certidão Negativa de débitos federal, estadual e municipal. Michel Terpins lembra, ainda, que o projeto prioriza o pequeno produtor rural.

“Todos os anos, ao início de cada ciclo do Projeto, serão anunciadas as metas e as áreas prioritárias de atendimento, sendo selecionados os produtores rurais cadastrados. O anúncio das metas e das áreas prioritárias, bem como, demais informações necessárias para participação, será feito por meio de edital de convocação Seama/Reflorestar, no segundo semestre de cada ano”, explica o portal do Governo do Espírito Santo.

Os membros do Programa Reflorestar serão beneficiados com o Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) em reconhecimento aos benefícios gerados pela floresta nativa conservada ou em recuperação; e, ainda, com o apoio financeiro, também na forma de PSA, para a aquisição dos insumos necessário para o plantio de novas áreas com florestas – como é o caso de mudas, material para cercamento, adubo, entre outros, enumera o sócio da empresa de reflorestamento ambiental Floresvale, Michel Terpins.

A Floresvale

De propriedade dos irmão e sócios Michel Terpins e Rodrigo Terpins, a Floresvale é uma empresa de reflorestamento ambiental fundada em 2009 que atua no manejo de florestas de eucalipto para serraria no Vale do Paraíba, entre os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. O empreendimento vem desenvolvendo um polo madeireiro sustentável e já mantem cerca de 5.000 ha de florestas sob manejo. Além disso, a Floresvale comercializa mais de 3000 metros cúbicos/mês de toras com diâmetro acima de 0,30 metros.